fbpx

Movimento Aliança Rio Grande repudia decisão do Executivo Municipal

O Movimento Aliança Rio Grande, que reúne as principais entidades do setor produtivo do município, repudia a condução errônea que vem sendo realizada pelo Executivo Municipal. Mais de três meses depois do início da pandemia, o Executivo declara um novo fechamento do comércio sem ter aumentado uma vaga de leito hospitalar ou construído um plano de combate aos efeitos do coronavírus eficiente.

Em reunião durante a manhã desta segunda-feira, 06, as entidades estiveram reunidas para debater o assunto. “Estamos vendo somente o travamento do comércio e queremos ver qual a estratégia para minimizar os problemas”, afirma o presidente da Câmara de Comércio e coordenador do Aliança, Paulo Bertinetti. O Movimento ainda questiona ao Executivo Municipal os motivos pelos quais estão sendo ignoradas defesas cientificas como a do professor da FURG, Cristiano Oliveira que diz que “é descabido a responsabilização dos moradores do município pelo recente aumento de casos de Covid-19, pois, não existem evidências de que o aumento na mobilidade de pessoas gere aumento no número de casos de Covid-19”.

Portanto, não há fundamento para colocar Rio Grande em bandeira preta, fechando o comércio e definhando empregos, tendo em vista que não há comprovação de sua relação com o aumento de casos. Quando pelo lado do Executivo, aumento de casos deveria contar com aumento de estrutura, algo que desde o mês de março é solicitado e não é atendido. O Executivo Municipal recebeu mais de R$7 milhões nos primeiros meses do combate, está recebendo mais de R$27 milhões do Governo Federal e não investe na contratação de leitos de UTI, medicamentos e infraestrutura de saúde.

Culpar a população que tentou voltar a viver, cumprindo uma série de exigências é um grave erro histórico que está sendo cometido. Nossas autoridades do Comitê de Saúde, Executivo e Universidade, devem trabalhar para garantir atendimento nos hospitais. Um estudo que poderia ser realizado em conjunto entre ambas entidades, mais eficaz do que o fechamento do comércio, seria de testar os inúmeros medicamentos que estão sendo usados e receitados pela área médica, como a ivermectina, por exemplo, para aplicação em Rio Grande. Esse estudo poderia trazer resultados muito mais promissores.

“Fechar o comércio nesse momento mostra a imaturidade do combate ao COVID em Rio Grande. Aceitamos o fechamento meses atrás na esperança que o sistema de saúde fosse preparado. A cidade recebeu muitos recursos, doações, o Governador do Estado atendeu ao chamado quando solicitado e o Executivo Municipal não faz os investimentos necessários e penaliza o comércio gerando medo, incertezas e uma provável nova onda de fechamento de empresas”, afirma o presidente da CDL, Igor Klinger.

O Movimento Aliança Rio Grande, por fim, solicita as autoridades que reanalisem essas decisões equivocadas e mais do que isso, invistam os recursos recebidos na compra de equipamentos, de medicamentos e contratação de pessoal qualificado para os hospitais. O mundo terá que conviver com o coronavírus até uma vacina definitiva e o único meio de termos segurança é se soubermos que o serviço de saúde poderá minimamente atender a população.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email